Análise: N++

N++

Jogamos o indie game “N++”, da Metanet Software Inc, e vamos contar aqui nossas considerações sobre ele, que é super desafiador, dinâmico e fluido.
Podemos dizer que N++ é um jogo de ação em plataformas 2D, que veio para continuar a saga de seu antecessor, “N+”, lançado para Xbox 360 em 2008, se auto-intitulando “o melhor jogo de plataformas do mundo”. A continuação da saga veio através do PS4 e agora está disponível para PC na Steam. Através de mais de 2 mil cenários em diferentes, todos feitos à mão, você irá controlar um “ninja” acrobático que precisa se desviar dos inimigos e obstáculos, enquanto tenta coletar o máximo de coins possíveis até chegar ao check point.
Além disso, N++ ainda permite criar e partilhar com outros jogadores as tuas próprias etapas através de um “modo editor”, ou ainda alterar as cores das fases já desenvolvidas. A obra possui também uma modalidade de corrida que chamou bastante nossa atenção quando jogada por mais de um jogador.

Plataformas

Este é um daqueles games de plataforma “escrachados”. Sua mecânica de jogabilidade é precisa, a dificuldade é extremamente progressiva e diretamente proporcional à curva de aprendizado de quem embarca nesta aventura. Uma grande diversidade de armadilhas também marca a experiência do usuário.
Durante o gameplay, tivemos problemas com a massividade do jogo, achamos um pouco repetitivo e chegar ao final do game definitivamente não é tarefa para qualquer um. Não que o jogo cause tédio nos jogadores, aliás, muito pelo contrário, porém é como se estivéssemos dentro do filme “Tempos Modernos”, de Charles Chaplin, apertando o mesmo botão e fazendo sempre a mesma coisa. Um tanto quanto exaustivo, eu diria.

Oops.

Graficamente falando, o jogo é bem simples, composto totalmente por cores sólidas, mantendo esta característica de seu antecessor. No entanto, com as inúmeras possibilidades de criação e edição, o player se sente livre o suficiente para confeccionar seus próprios cenários, caso se canse dos existentes ou queira arriscar novos desafios.
Levando tudo isso em consideração, N++ mescla sua ação com uma pegada bem sutil de estratégia e um sentimento nostálgico dos arcades. Talvez sair pelo cenário, pulando de plataforma em plataforma para coletar todos as coins, seja algo bem funcional, mas analisar um caminho para percorrer enquanto se desvia dos obstáculos, com certeza irá te ajudar a ser mais efetivo. Devido à sua dinamicidade, o jogo nos fez lembrar também do inesquecível “VVVVVV”, tanto pelos cenários, quanto pela forma como ambos são jogados.

PINK

Outra coisa que se destaca facilmente, são as trilhas sonoras muito bem escolhidas e desenvolvidas por instrumentos e batidas eletrônicas, fazendo com que a intenção conceitual de ser “retrô-futurista” se torne ainda mais nítida.

Concluindo, N++ é um jogo com personalidade notável, que possui uma jogabilidade bastante atrativa e com alto fator de replay, mas não é um título para quem está procurando qualidade gráfica em geral, exceto para os “minimalistas”. Em termos de trilha sonora, campanha cooperativa local e desafios, ele preenche todas as expectativas, porém não possui um modo multiplayer online e, para mim, deixa a desejar no quesito de beleza visual. Seu preço também não é “salgado” mas acreditamos que poderia estar estar ainda mais acessível.
Venha para o Lado Indie da Força!


  • E-MAIL

Você tem alguma dúvida, crítica, sugestão de tema ou ideia que gostaria de nos enviar? Mande um e-mail!